Importante!

Este blog foi feito para compartilhar frases e textos, proporcionar alguns sorrisos e quem sabe dar pitadas de emoção à vida de quem o ler.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Dica de Leitura #12

Sete Dias Sem Fim - Jonathan Tropper

O nome do livro é Sete Dias Sem Fim, mas posso dizer que foi praticamente uma leitura sem fim. Acho que nunca demorei tanto para ler um livro. Entretanto, não me entendam mal, o livro é ótimo, mas o problema é que ele chegou para mim em um momento de dedicação total ao meu TCC e um período de adaptação a um novo emprego, então foi difícil achar um tempo livre para a leitura dele, já que quando eu não estava lendo coisas da faculdade e do TCC, eu não me empolgava para ler mais nada. Acho que vivi um momento de aversão literária devido a uma overdose de livros de Psicologia, haha. 

Enfim, acredito que essa justificativa é necessária, pois a minha demora pode ter influenciado a forma como compreendi o livro.  



Livro: Sete Dias Sem Fim
Autor: Jonathan Tropper
Editora: Arqueiro
Nº de Páginas: 304


Sete Dias Sem Fim é um daqueles livros que te fará refletir em algum momento. Não importa se te prenderá por causa da história principal ou pelas secundárias, ou até mesmo por uma frase de impacto, você em algum momento pensa em sua vida e reflete sobre como a está encarando. 

Judd é tão azarado – se esta é a palavra certa –, que faz com que olhemos para nossas vidas e agradeçamos por ela não ser tão complicada como a do personagem. Logo no início do livro, no dia do aniversário de sua esposa, Judd a flagra na cama com outro homem, e, para completar a tragédia, este homem era Wade, seu chefe. 

Traído e, devido às circunstâncias, desempregado, o personagem ainda tem que lidar com outra trágica notícia: seu pai faleceu. Como último pedido, o pai de Judd quer que a família se reúna e cumpra a Shivá – nome dado dentro do judaísmo para se referir ao período de sete dias de luto mantidos pela morte de uma pessoa próxima. 

A partir daí começamos a conhecer essa família de relações confusas e, de sua própria maneira, afetuosas. Sra. Hillary, mãe de Judd, nunca foi discreta, surpreende os filhos – e até mesmo os leitores – com uma grande revelação. Wendy, a única irmã, tem um casamento monótono, pois o marido Barry não parece se preocupar com ela e com os três filhos do casal, mas apenas com seus negócios. Philip, o irmão mais novo e mais conquistador, traz para a Shivá sua nova namorada, Tracy, uma quarentona que parece bancar o rapaz. Paul, o outro irmão, é casado com Alice – com quem Judd perdeu a virgindade – e está tentando ter um filho. 

Como se já não bastasse toda a complexidade da situação em que se encontra, quando Judd acredita que nada pode piorar, ele descobre que a ex-esposa está esperando um filho dele.

O livro retrata os dramas vividos pela família Foxman e nos faz entrar no universo de cada irmão e refletir sobre os problemas que assolam cada núcleo familiar que compõe o grande cenário. A convivência diária os faz olhar para si, reviver questões do passado e os motiva a resolver mágoas familiares até então veladas. 




Sete Dias Sem Fim, conta com uma dose de humor, mas não é de nenhuma maneira uma história familiar superficial. É uma leitura de fácil compreensão, porém os sentimentos relatados são densos, fazendo com que o próprio leitor repense sobre a sua vida.

Uma ótima dica para as férias!

Boa Leitura!

Elis C.

Nenhum comentário:

Postar um comentário