quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Promoção #3

Sorteio Jane Austen 3 em 1: Razão e Sensibilidade / Orgulho e Preconceito/ Persuasão - Editora Martin Claret


Em parceria com a Editora Martin Claret o Blog Frases Feitas e Coisas Clichês irá sortear 1 exemplar da edição especial da Editora, que reúne três dos mais apreciados romances da maravilhosa autora Jane Austen.



Fiquem atentos as regras e participem!

Regras para participar do sorteio (obrigatórias):

1) Ser seguidor do Blog Frases Feitas e Coisas Clichês (clique em participar deste site na ferramenta seguidores no lado direito da página)

2) Ter um endereço de entrega no Brasil. 

3) Curtir a página do Blog Frases Feitas e Coisas Clichês no Facebook (https://www.facebook.com/pages/Blog-Frases-Feitas-e-Coisas-Clich%C3%AAs/336547533029481)

4) Preencher corretamente o Formulário (AQUI)


                         CHANCES EXTRAS (não obrigatórias)


1) Seguir o Blog no twitter (@FraseseCliches(Preencha o formulário MAIS UMA VEZ)
2) Seguir a Editora Martin Claret no twitter (@EdMartinClaret(Preencha o formulário MAIS UMA VEZ)


                                    Observações Importantes

  • O período de inscrição irá de hoje dia 25/01/2012 até o dia 25/03/2012.
  • O sorteio será realizado pelo site Random, e publicarei aqui a imagem com o número sorteado no dia 26/03/2012.
  • O ganhador terá uma semana após o resultado do sorteio, para se manifestar e responder ao e-mail passando seus dados para que o livro seja enviado pelo correio, caso contrário o livro será novamente sorteado entre os participantes.
  • O frete do livro é de responsabilidade do Blog.

Beijos e Boa Sorte!

Dica de Leitura #7

Razão e Sensibilidade - Jane Austen
Livro: Razão e Sensibilidade / Orgulho e Preconceito/ Persuasão
Autora: Jane Austen
Editora: Martin Claret
Número de Páginas: 632 p.

Escrito sob o pseudônimo “A Lady”, Razão e Sensibilidade ou Razão e Sentimento foi o primeiro livro de Jane Austen a ser publicado, em 1811, e já houve diversas adaptações do livro para a televisão e para o cinema.



 O início do livro relata que, após a morte do senhor Dashwood, a vida de sua viúva e de suas filhas deste segundo casamento – Elinor, Marianne e Margaret – muda drasticamente, uma vez que, por direito, a propriedade de Norland Park é herdada pelo meio irmão delas, John Daswood. Ele e sua esposa Fanny se mudam para a propriedade da família e embora tenha prometido ao pai em seu leito de morte que não iria deixar sua madrasta e suas irmãs desamparadas, persuadido por sua mulher, John as incentiva a procurarem outra propriedade para elas.



Fanny é irmã de Edward Ferrars, que, em uma das visitas à casa do cunhado, acaba se encantando, mesmo que de forma discreta, por Elinor, sendo, também de forma tímida, correspondido pela mesma. Entretanto, ao ver o interesse do rapaz pela modesta Elinor, Fanny informa a Sra. Dashwood que sua mãe, a Sra. Ferrars, nunca permitiria que seu filho se casasse com uma moça de classe social baixa.
Elinor, sempre muito racional, nega seus sentimentos por Edward enquanto sofre em silêncio sem ter certeza do afeto do amado, e por saber que um romance como o deles não seria aceito pela sua possível sogra.
John Middleton, um primo da Sra. Dashwood, sabendo da procura da família por uma pequena casa, oferece a elas uma casa em sua propriedade em Devonshire, Barton Park. Sentindo-se estranhas em Norland Park e com seus baixos recursos as mulheres Dashwood aceitam a proposta e se mudam para este novo lar, que embora humilde, se torna mais agradável pela vizinhança.
John Middleton e sua esposa fazem tudo que está ao seu alcance para apresentar as primas para as pessoas da redondeza e as mesmas são sempre convidadas para jantares em sua residência, tendo que ser expostas aos comentários casamenteiros da Sra. Jennings, mãe da Sra. Middleton.
Em uma das visitas à casa do Sr. John, um dos convidados, o Coronel Brandon, um cavalheiro de 35 anos, muito honrado e elegante, visivelmente se encanta com a beleza de Marianne que repudia a ideia de se casar com um homem como o Coronel, sendo seu maior questionamento a idade do pretendente.
Marianne, durante uma caminhada, cai e se machuca ao correr devido a uma chuva repentina e é socorrida pelo belo John Willoughby, sobrinho da Sra. Smith e que estava na região visitando a tia. Ele a leva até a casa das Dashwood e logo conquista a admiração das mulheres, de forma particular a de Marianne. Willoughby passa a visitar constantemente Marianne que se encanta cada vez mais pelos seus conhecimentos e seu romantismo, e, não zelando pela discrição, deixa evidente seu interesse e apreço pelo rapaz que parece correspondê-la.
Elinor reprova as atitudes da irmã uma vez que nenhum compromisso havia sido firmado entre os dois jovens, mas sua mãe não coloca empecilho algum no relacionamento, acreditando, assim como Marianne, que um noivado em breve ocorrerá. Não muito tempo depois das constantes visitas, Willoughby aparece à casa das Dashwood apenas para informar que precisará ir à Londres a pedido da tia e informa que não retornará a Barton Park. Marianne fica desiludida e bastante arrasada com os rumos que seu romance tem.
Para alegrar a família que estava entristecida com a partida de Willoughby, as mulheres Dashwood recebem uma visita inesperada de Edward Ferrars, que agrada de forma especial Elinor. A visita que aparentemente seria muito agradável, teve um desfecho infeliz para Elinor, pois as atitudes e a infelicidade de Edward acabam por colocar mais em dúvida ainda os verdadeiros sentimentos dele por ela.
Depois da partida de Edward, Anne e Lucy Steele, que estão visitando a prima Sra. Middleton se aproximam das irmãs Dashwood. Lucy tem clara preferência por Elinor, e revela a esta muitos segredos, inclusive o fato de que possui um compromisso com Edward o qual foi feito há muito tempo. Elinor, mesmo amando Edward e entendendo que ele não ama Lucy, mas que precisa manter sua palavra frente ao compromisso juvenil que havia firmado, reprime seus sentimentos e ouve atentamente Lucy falar sobre seu amado, sofrendo em silêncio.
A história segue evidenciando decepções amorosas, amores reprimidos, caráteres questionáveis e atitudes honrosas, com um desfecho surpreendente que faz o livro realmente valer a pena.

Elis C.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Lançamentos: Grupo Editorial Pensamento

Relatos de pessoas que sentiram o poder de Deus em suas vidas





Livro: Encontros com Deus
Autora: Jennifer SKiff
Nºde páginas: 288
Preço: R$ 32,90










Por que estou aqui? Existe algo além desta vida? Deus existe? Essas são perguntas que passam pela nossa cabeça, mas que nunca encontramos uma explicação lógica e convincente. Jennifer Skiff, uma jornalista investigativa, que após ter o diagnóstico de um câncer ameaçador aos trinta e poucos anos, se convenceu de que uma presença divina estava ativa em sua vida. A partir daí, através de seus instintos jornalísticos, resolveu procurar se outras pessoas tinham vivido uma experiência semelhante. O resultado é o livro Encontros com Deus, da Editora Pensamento, que é sucesso internacional e já foi vendido para diversos países. Desde seu lançamento, a obra ficou por 160 semanas na página de best-sellers da Amazon.

Além de compartilhar suas experiências, que são verdadeiras lições de fé, a autora traz histórias comoventes de pessoas que sentiram o poder da presença de Deus em suas vidas e se transformaram para sempre. Cada capítulo do livro apresenta um relato inspirador, por pessoas de todas as classes e posições sociais diferenciadas, mas com algo em comum: a confirmação da existência de um Poder Divino.

A história de Cindy e Marty, um casal que se conhece ainda jovem e que fica perdidamente apaixonado, é um ótimo exemplo. Com 19 anos, ela tem o diagnóstico de câncer de cólon, que mais tarde precisa ser retirado, além de ter que passar por quimioterapia. Aparentemente “curada”, retomam a vida normalmente. Depois de um tempo, Cindy é internada novamente com fortes dores e descobre que o câncer se espalhou pelo corpo. Marty ia visitá-la todas as noites depois do trabalho, quando certa manhã, acorda sobressalto no quarto da casa em que haviam comprado juntos. “Senti um estremecimento no coração, como se alguma coisa estivesse atravessando. Olhei pela janela e vi um lindo nascer do sol”, conta Marty. Poucos minutos depois, toca o telefone. Era o pai de Cindy informando sua morte. “Ao desligar o telefone, eu soube que fora despertado pela alma de Cindy que havia passado por mim a caminho do céu”, diz.

Encontros com Deus traz, por meio dessas e de outras histórias, confirmações extraordinárias da intervenção divina na vida das pessoas. Um livro inesquecível que proporciona aos leitores sentirem que realmente não estão sozinhos e que tudo tem um propósito maior em suas vidas: aceitar que Deus é onipresente e está em todos os lugares.

Sobre a Autora – Jennifer SKiff é jornalista investigativa e correspondente e produtora da CNN. Já recebeu diversos prêmios. Um câncer ameaçador que a acometeu quando ela estava com trinta e poucos anos, convenceu Jennifer de que uma presença divina estava ativa em sua vida. Seus instintos jornalísticos se apuraram, e ela procurou descobrir se outras pessoas tinham experiências semelhantes. O resultado é este livro, uma coletânea de relatos pessoais e inspiradores sobre encontros milagrosos com Deus que já foi vendido para diversos países.



Lançamentos: Grupo Editorial Pensamento

                        Livro reúne comoventes histórias de 
                                amizade entre os animais


      
Livro: Amizades Improváveis – Histórias     Comoventes de Companheirismo e Amizade entre Os  Animais
Autora: Jennifer S. Holland
Tradução: Eduardo Gerpe Duarte
Nº de páginas: 224
Preço: R$ 34,90



Com 47 histórias curtas, ricamente ilustradas, livro da Editora Pensamento mostra casos reais e surpreendentes de animais que estabeleceram vínculos extraordinários


Um gato e um pássaro, quem diria, são os melhores amigos do mundo. Um carneiro é capaz de ajudar um elefante africano a superar a perda da mãe. E ainda a amizade entre um gato e uma iguana pode ser mais comum do que se imagina. Essas e outras histórias curiosas e encantadoras estão reunidas em Amizades Improváveis, novo livro da Editora Pensamento. A obra apresenta casos reais e surpreendentes de animais, membros de duas espécies diferentes, não humanas, que estabeleceram vínculos extraordinários.

Relatados por pessoas do mundo inteiro, os episódios foram reunidos pela jornalista Jennifer S. Holland, que se dedica a ciências e à natureza. São 47 histórias curtas e comoventes, ricamente ilustradas com incríveis fotografias. A pesquisa apresenta cenas vivenciadas nos últimos 29 anos, em diversos países. O livro reproduz ainda uma marcação que lembra uma ficha técnica com os dados dos animais envolvidos nas histórias. Assim o leitor conhece detalhes sobre reino, filo, classe, ordem, família, gênero e espécie dos protagonistas das cenas.

A autora reconhece os benefícios da ligação entre seres humanos e animais de estimação, entre os quais destaca contribuições para os donos como a queda da pressão sanguínea e para atenuar sintomas da depressão, além de cooperar para o bem-estar psicológico. Mas mostra-se surpresa com a aproximação entre os animais, em especial os cães que não raramente adotam outros animais, como esquilos, pintinhos e, até mesmo, elefantes.

A razão para essas parcerias, segundo os biólogos, está na facilidade de localizar predadores, manter parasitas à distância, encontrar comida e local aquecido. No entanto, a autora não se apega ao rigor científico. Ela procura ressaltar ao leitor o lado afetuoso que envolve as relações, o papel protetor dos animais e mostra que a necessidade de amizade não é apenas humana. 

Entre as curiosas histórias, destaca-se uma ocorrida em 2009, em Ohio, nos Estados Unidos, cujos protagonistas são um gato e um rato. Peanut, um simpatico ratinho branco cativou Ranj, um gato de rua que veio morar na casa de sua dona, Maggie e, segundo o livro, ainda hoje o ratinho se aconcheda debaixo do gato quando ele está sentado.

Sobre a autora

Jennifer S. Holland é jornalista. Dedica-se a ciências e à natureza. Atualmente é redatora sênior da revista National Geographic, onde se especializou em ciências naturais e história natural (répteis, mamíferos, aves, amebas). Mora com o marido, dois cachorros e dezenas de cobras e lagartos. E está desapontada porque, até onde sabe, nenhum dos cachorros fez amizade com nenhum dos lagartos, e as cobras vivem completamente “na delas”.


quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

A paixão aumenta em função dos obstáculos que se lhe opõe.

William Shakespeare
Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.

Clarice Lispector
Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós.

Clarice Lispector

Lançamento: Editora Arqueiro


terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Há ocasiões em que o silêncio constrange (...).

A Ilha – Victoria Hislop - p. 267

Foi um gesto inconsciente, mas cheio de significado.

A Ilha – Victoria Hislop - p. 221
Maria nunca tivera uma felicidade tão despreocupada, e começou a pensar que essa euforia fosse amor.

A Ilha – Victoria Hislop - p. 192
Ela os tratava feito bobos, portanto, bobos eles permaneceriam.

A Ilha – Victoria Hislop - p. 81
Nosso suposto destino é, em grande parte, traçado por nossos antepassados, não pelas estrelas. Quando falamos em história antiga aqui, sempre nos referimos ao destino... mas na verdade não estamos falando do incontrolável. É claro que alguns acontecimentos parecem vir do nada e mudam o curso de nossa vida, mas o que realmente determina o que acontece conosco são as ações das pessoas que nos rodeiam agora e que vieram antes de nós.

A Ilha – Victoria Hislop - p. 40