Importante!

Este blog foi feito para compartilhar frases e textos, proporcionar alguns sorrisos e quem sabe dar pitadas de emoção à vida de quem o ler.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Dica de Leitura #7

Razão e Sensibilidade - Jane Austen
Livro: Razão e Sensibilidade / Orgulho e Preconceito/ Persuasão
Autora: Jane Austen
Editora: Martin Claret
Número de Páginas: 632 p.

Escrito sob o pseudônimo “A Lady”, Razão e Sensibilidade ou Razão e Sentimento foi o primeiro livro de Jane Austen a ser publicado, em 1811, e já houve diversas adaptações do livro para a televisão e para o cinema.



O início do livro relata que, após a morte do senhor Dashwood, a vida de sua viúva e de suas filhas deste segundo casamento – Elinor, Marianne e Margaret – muda drasticamente, uma vez que, por direito, a propriedade de Norland Park é herdada pelo meio irmão delas, John Daswood. Ele e sua esposa Fanny se mudam para a propriedade da família e embora tenha prometido ao pai, em seu leito de morte, que não deixaria sua madrasta e suas irmãs desamparadas, persuadido por sua mulher, John as incentiva a deixar a propriedade.

Fanny é irmã de Edward Ferrars e em uma das visitas à casa do cunhado, este acaba se encantando, mesmo que de forma discreta, por Elinor. A moça, mesmo que de forma tímida, também demonstra interesse no jovem rapaz. Entretanto, ao ver a preferência do irmão pela modesta Elinor, Fanny informa a Sra. Dashwood que sua mãe, a Sra. Ferrars, nunca permitiria que seu filho se casasse com uma moça de classe social tão baixa.

Elinor, sempre muito racional, nega seus sentimentos por Edward, enquanto sofre em silêncio sem ter certeza do afeto do amado, e por saber que um romance como o deles não seria aceito pela sua possível sogra.

Solidarizado com a situação das jovens, John Middleton, primo da Sra. Dashwood, oferece à elas uma casa em sua propriedade em Devonshire, Barton Park. Sentindo-se estranhas em Norland Park e com seus baixos recursos, as mulheres Dashwood, aceitam a proposta e se mudam para este novo lar, que embora humilde, se mostra um local agradável, ainda mais pela vizinhança.

Em um dos jantares na casa do primo John, um dos convidados, o Coronel Brandon - um cavalheiro de 35 anos, muito honrado e elegante - visivelmente se encanta com a beleza de Marianne. No entanto, a moça repudia a ideia de se casar com um homem como o Coronel, sendo seu maior questionamento a idade do pretendente.

Em uma caminhada despretensiosa, Marianne conhece Willoughby e, por acreditar que logo ouviria um pedido de noivado, a moça não zela pela discrição e deixa evidente seu interesse e apreço pelo rapaz que parece correspondê-la. Edward também visita às Dashwood, tornando os sentimentos de Elinor ainda mais confusos, pois não consegue compreender o que seu amado realmente sente em relação à ela. 

 Além disso, Anne e Lucy Steele, que estão visitando a prima Sra. Middleton, se aproximam das irmãs Dashwood e uma revelação feita por uma das irmãs deixa Elinor ainda mais desolada sobre o seu futuro.

A história segue evidenciando decepções amorosas, amores reprimidos, caráteres questionáveis e atitudes honrosas, com um desfecho surpreendente que faz o livro realmente valer a pena.

Elis C.

Um comentário:

  1. eu já lii o livro com o roteiro do filme e achei otimo, imagina o livro em si? hshseuhe Os livros da Austen são perfeitos! A historia de Elinor e Marianne é muito linda

    ResponderExcluir